quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Coisas da vida


“O machado era de Assis,

A rosa, do Guimarães;

A bandeira era do Manuel...

Mas feliz mesmo foi o Jorge,

Que era amado”.
 
 
 

8 comentários:

  1. As coisas da vida são surpreendentes, inesgotáveis, inapreensíveis e eternamente mutáveis, ou seja, todo dia é uma novidade irrepetível, "né mess" (não é mesmo, em mineirês rsrs), queriDannemann?!.Ato contínuo, podemos parafrasear esta bela sacada (de quem é a autoria?!) ou acrescentar-lhe outras sacadas mais modestas...deste desimportante colaborador, que , inclusive, auxiliará nas explicações , sabedor de que a maioria não consulta dicionários rsrs...senão vejamos:

    O lobato (lobo pequeno) era do Monteiro,

    O abreu(tipo de besouro) foi do Casimiro,

    O maravilhoso quintana(quintal) era do fabuloso Mário,

    A mais bela andrade (espécie de árvore) foi de Oswald,

    A cecília (tipo cobra-cega) era da iluminada Meirelles,

    Mas rico mesmo foi Alves, que tinha um castro(antigo castelo).

    Voltando ao que interessa: a eterna novidade do mundo... reproduzo esta pérola do
    incomparável , insuperável ou maior poeta de tooooodos os tempos ( meu adoooooooorado/favoritíssimo Nandinho) e na minha desimportante(again) conceituação:

    "O meu olhar é nítido como um girassol.
    Tenho o costume de andar pelas estradas
    Olhando para a direita e para a esquerda,
    E de vez em quando olhando para trás...
    E o que vejo a cada momento
    É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
    E eu sei dar por isso muito bem...
    Sei ter o pasmo essencial
    Que tem uma criança se, ao nascer,
    Reparasse que nascera deveras...
    Sinto–me nascido a cada momento
    Para a eterna novidade do Mundo "
    Alberto Caeiro

    Santé e axé!!
    Marcos Lúcio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aadorrrrrei tudo! Sua poesia e a do Nandinho também! Adorrrrro Nandinho, o maior dos maiores! Não sei a autoria, infelizmente... Uma amiga me repassou e achei lindo!

      Excluir
    2. Merci beaucoup!
      Faltou acrescentar:

      O azedume da lima do Barreto, não amenizou O Triste fim do Policarpo Quaresma.

      Santé e axé!!
      M.L.

      Excluir
  2. Fernanda,

    Adorei seu post, a poesia do autor anonimo ..... a foto do beija flor .... voce acredita que um dia eu vi um beija flor cor de rosa ..... eu nem acreditei .....

    E voce Marcos Lucio, nosso queridissimo presidente da C.P.F.A.S.S. encantando com seu comentario brilhante ......

    Acrescentando: no meu tempo eu ouvia as pessoas dizer: "vai no dicionario (pai dos burros, ver o que significa essa palavra" ...... sempre achei estranho .... hoje eu sei o porque: pois para mim e o contrario .... so os curiosos e os inteligentes que o procura ....kkkkk

    Felicidades,

    Gilda Bose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gilda, uma vez vi um beija-flor pertinho de mim, com o bico numa florzinha... Coisa mais linda!

      Excluir
    2. Só mesmo você, nossa ilustre diretora e a Fernanda , nossa vice-presidenta do C.P.F.A.S.S - ambas queridérrimas!!! - para darem estímulo a este humilde colaborador/escrivinhador. Seus genorosos elogios compensaram o " trabalho"/diversão da pesquisa para a brincadeira em forma de poema. Quando/se não gostarem de outros comentários meus... conto com a crítica negativa, também...vinda de vocês, será bem-vindíssima, posto que entenderei como alerta, como incentivo para melhorias(eternas).
      Santé , axé e abraço forte "procês".
      M.L.

      Excluir
  3. Taí um belo poema e quem não gostar que se Dannemann.

    ResponderExcluir

Dicas para facilitar:
- Escreva seu nome e seu comentário;
- Selecione seu perfil:----> "anônimo";
- Clique em "Postar comentário";
Obrigada!!!!!