sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

A nova síndrome: Facebook


-- Faz um desenho bonito pra gente botar no Face!

Bastou a mãe falar a palavrinha mágica, “Face”, e a menina de mais ou menos três anos parou de tentar chamar a atenção do restaurante inteiro e se concentrou nas folhas de papel e nos lápis coloridos que o garçon colocou à sua frente, na mesa. Parou até de tomar refrigerante!
A garota ainda nem se livrou direito das fraldas, mas já sabe que pode chamar a atenção e ser "curtida" por um bando de “amigos” (mesmo que de mentirinha) no computador. E toca a caprichar no desenho enquanto a gente pode, finalmente, almoçar e conversar em paz, porque a fofa calou a matraca.
Mas logo ela interrompe o trabalho e faz uma pose com sorriso mais falso que as irmãs da Gata Borralheira, e tudo porque a mãe resolve fotografar o grupo todo, e pra quê? Pra botar no Face, marrelógico!

A tal mãe e a tal filha estão entre os 65 milhões de pessoas que fazem do Brasil o segundo país no ranking do Facebook, perdendo apenas para os americanos, segundo as últimas pesquisas: um em cada três brasileiros estão conectados ali. Mas é nos EUA mesmo que uma certa saturação já vem dando sinais de vida, e as novas adesões vêm caindo.
Enquanto isso, na Alemanha, décimo lugar na lista, os pesquisadores concluem que a saturação pode vir a ser mesmo uma realidade. É que, ao menos em seu país, a rede social mais popular do planeta é considerada “estressante” por causa da autopromoção social, financeira e estética que vem dando o tom das relações de “amizade” e “curtição”. O povo, tadinho, diante de tanta felicidade alheia nas telas do Face, anda se sentindo insatisfeito com a própria vida e intimidade! Ai, que dó!
Segundo os pesquisadores, sentimentos como raiva, inveja, frustração e infelicidade vêm tirando a paz dos alemães... note bem que estamos falando de um dos povos mais ricos do planeta... imagine então como anda a coisa pelo Terceiro Mundo, embora nesta parte do globo o Face continue crescendo. Talvez o povo dos países mais pobres não tenha ainda acordado para o lado perverso de uma convivência baseada nas aparências. Será que é por que somos emergentes deslumbrados?
Esta ostentação doentia me faz lembrar daquelas célebres palavras de Winston Churchill, quando ele se referiu ao nazismo: “você pode enganar algumas pessoas o tempo todo ou todas as pessoas durante algum tempo, mas não pode enganar todas as pessoas o tempo todo”. Parece que entre o um bilhão de seguidores do Face, alguns já estão ficando cansados de competir ininterruptamente com seus "amigos": todo mundo já sacou que é tudo teatrinho!
Ato contínuo, lembro do Eduardo Dusek, que prófético como Andy Warhol e seus tão propagados "15 minutos de fama", há trinta anos falou sobre esta necessidade de ser o "tal" e suas consequências funestas: "isso é que dá... cê querer frequentar!".



19 comentários:

  1. O Facebook, de fato, é um perigoso paraíso de auto exposição mórbida e comparações, idem, entre muitos participantes, que podem, sim, gerar sentimentos de menos valia, ansiedade neurótica, depressão, melancolia e até, homicídios e suicídios. Sou assinante e meus amigos nesse site, são todos, amigos e familiares da vida real, além da namorada. Todos os dias, dou uma passada por lá, exatamente, para analisar criticamente, o que as pessoas postam. Via de regra, minha percepção é cada vez mais pessimista, acerca se indivíduos, casais e grupos sociais que viajam naquele espaço. A coisa está feia e piorar, sempre é possível. Há exceções, claro, que só confirmam a regra.

    ANTONIO CARLOS

    ResponderExcluir
  2. Faz pouco tempo que cancelei o Facebook que depois de alguns dias acabei reinstalando. A razão foi o acesso às minhas filhas. Uma delas é mais do que um produto desses tempos de Face, mas, é minha filha. A outra, vive na Alemanha e usa o Face quase pelo mesmo motivo que eu e nestas condições vou moderando minhas palavras no Face, tendo em vista que ali não posso expor minha verdadeira opinião sob pena de ser execrado. Não posso ser contra alguma bobagem em andamento, nessa mídia de mentirinha e enfadonha, mas pelo menos posso, há partir da informação, pegar o telefone e falar sobre o fato que não me agradou, exposto no Face. Vejam que neste caso, o dito cujo trabalha a meu favor. Nestes novos tempos, o que mais posso fazer é pegar rebarbas.
    Cultura buscada em bibliotecas nunca mais. Nossos termos de comparações estão sendo completamente substituídos por outros, embalados por cantores estranhos, de óculos brancos e grandes, cujos sons protestam contra a cerveja pouco gelada, mulher pelada, vaca emancipada, mal passada, escravizada e canibalizada. Entender os novos tempos precisa de um tempo. Em tempo: Pra falar com ela, minha filha amante do Face, só nos termos dela, pra compreensão dela, já que a minha ‘compreensão’, já era pai.
    Coisa curiosa foi quando minha filha fez a plástica (após 1 ano de cirurgia bariátrica) e postou no Face a foto da nova ‘garota’ emagrecida a força. Centenas de elogios vieram de todos os lados e não eram falsos, mas não eram verdadeiros, eram... Tristes, magoados e sem luz, talvez obrigatórios, de comparecimento. Um celeiro investigativo de personalidades comprometidas, pelo que penso, de uma sociedade em xeque, um xeque que pode ser ‘xeque mate’, de um mundo sob ameaça real de voltar a barbárie, da noite para o dia. Vejam a ameaça da Coréia do Norte, mais rápida e ‘eficiente’ do que o degelo em andamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente 'discurso', se o posso chamar assim.

      Excluir
  3. Sábio Dusek. Depois de fazer tanta pose no Face, vai todo mundo acabar ali na esquina comendo um hot dog vulgar...

    SERGIO NATUREZA - BA

    ResponderExcluir
  4. "Marrelógico" que adorrei o uso e senti-me homenageado, queriDannemann.Merci.

    Nas raras vezes que perguntaram-me se tenho Face, respondi: não, só tenho Book rs. Pois quem me conhece, razoavelmente, já adivinha que ovelha nigérrima não cai em qualquer rede e/ou armadilha rs. De mais a mais, considero privacidade um dos bens mais eletivos da humanidade, uma virtude, digamos assim e com tooooooooodo o respeito do mundo aos que usam e abusam desta ferramenta. As considerações finais do Alfredo estão excelentes , assim como o diagnóstico preciso do sr. Antônio Carlos.

    Olha o que li e diverti-me:

    QUERIA MORAR O FACEBOOK....todo mundo aqui é do bem, ama os animais, é amigo, odeia os falsos e a corrupção, é fiel, prefere namorar do que ficar ou só pegar, só tem momentos felizes, festivos, e todo mundo gosta das pessoas pelo caráter e inteligência, não pela beleza e valores materias.
    Mas não entendo, com tanta gente boa assim...porque o mundo ainda é uma merda? Supimpa, não?!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Santé e axé!!!
    Marcos Lúcio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!!!!!!!!!!!

      Excluir
    2. Desculpe a falha: QUERIA MORAR NO FACEBOOKKKKKKKKKKKKK

      Excluir
    3. kkk Vero, vero, vero!!

      Excluir
  5. Um dia eu descobri que tinha uma conta nessa coisa. Juro que nao sei como isso foi acontecer! Quem sabe um click num lugar errado? Nao sei...
    Sei que estou la e nao uso essa caca para fins pessoais (e, se um dia me dignar a gastar tempo entendendo isso, vou tentar esconder/apagar tudo!!!!)
    Meu filhote, que trabalha com coisas de Internet (juro que ateh hoje nao sei exatamente o que ele faz mas sei que esta faturando bem pois foi alguma coisa em Buenos Aires por 2 anos e agora esta em Barcelona...) disse que iria fazer uma pagina para o negocio que estou querendo iniciar aqui. Respondi: vai ajudar? Manda ver!
    Mas tambem disse: Nao levo feh!
    Nao entendo, nao quero entender, nao me interessa. Acho isso uma babaquice. Prefiro ser "solitario" do que ter um milhao de "amigos" virtuais, que nunca vou poder abracar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qualquer dia eu vou a Orlando e você vai ter que me dar um abraço, hein?!

      Excluir
    2. Antes de vir, mande uma nota para o meu face! :o))

      Excluir
  6. Eu até ia falar algo sobre o tal "facebook",mas o Ariel Galvão já falou tudo por mim. Valeu! Bom domingo a todos.

    Monica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Monica, vai curtir o domingo porque é amanhã é segunda!

      Excluir
  7. A VERDADE SOBRE O 'FACEBOOK'
    O Facebook vende a informação dos seus usuários ao maior espião; O que muitos não sabem é que, de acordo com as condições do Contrato que virtualmente assumem, ao clicarem no quadro "Aceito", autorizam e consentem a propriedade exclusiva e perpétua de todas as informações .
    Assim, ressalta um perito, os membros 'automaticamente autorizam o uso vitalício e transferível, junto com os direitos de distribuição, de tudo o que colocam na sua página para outros propósitos, transformando um bem privado em comércio público.
    Tudo o que os seus membros publicaram, incluindo as suas tendências políticas, o estado de suas relações afetivas, interesses individuais e até o endereço de suas casas, foi enviado sem autorização expressa a milhares de usuários.

    O perito Mr. Melber assegura que muitos empregadores americanos, ao avaliar os currículos, consultam o Facebook para conhecer intimidades dos candidatos.

    Cara, as redes sociais são um negócio como todos os outros O verdadeiro objetivo é vender os dados pessoais às empresas/governos/etc. que pagam por essa informação, para saberem algo sobre alguém. Só não sabe isso quem não se informa.

    E, para piorar, quando é cancelada a conta, as informações permanecem, para o caso de reativação.O usuário não é retirado nem quando morre. De acordo com as 'Condições de Uso', os membros não podem obrigar que se retirem os dados , já que quando o se aceita o Contrato Virtual, concede-se o direito de mantê-lo ativo sob um status especial de partilha por , para permitir que outros usuários possam publicar comentários sobre o falecido.

    AGORA O PERIGO MAIOR
    Saibam os usuários que são participantes indefesos e ingênuos de um cenário que os acadêmicos qualificam como o maior caso de espionagem na História. Convertem-se, de forma inconsciente, nos precursores do fenômeno 'Big Brother'(coisa mais ridícula), alusão direta à intromissão abusiva do Estado nos assuntos privados do cidadão comum para controlar o seu comportamento social, tema de uma novela profundamente premonitória escrita em 1932 pelo britânico Aldous Huxley: "Um Mundo Feliz"
    hum...
    Mas o Dusek é tudibom e recomendável pra quem gosta de se divertir com inteligência e irreverência.
    Abraço afetuoso
    Danilo

    ResponderExcluir

Dicas para facilitar:
- Escreva seu nome e seu comentário;
- Selecione seu perfil:----> "anônimo";
- Clique em "Postar comentário";
Obrigada!!!!!